Gourmet

O Experience Lounge surgiu para suprir a demanda por eventos exclusivos para pequenos e médios grupos, com custos acessíveis num espaço muito agradável e pelo privilegiado acesso ao bairro do Campo Belo, um dos principais polos da cidade de São Paulo. Take one na cozinha Gourmet.

Pensado para privilegiar o cliente que não quer ter trabalho de execução, o espaço conta com toda estrutura audiovisual e também de mobiliário e cenografia.

E dessa vez oferecemos à Cecilia Furlani uma estrutura completa de som e iluminação e uma cozinha bem estruturada, funcional e com um conceito contemporâneo para suas gravações. Com mais de 17 anos de experiência, Cecilia Furlani Sugar Flowers, trouxe ao nosso espaço toda a sua técnica, muito realista, na criação de belíssimas flores em pasta de açúcar e pasta de feijão com mais resistência e flexibilidade.

História

Conta a História que os primeiros livros de culinária, e os tratados que citavam o assunto, surgiram no século IV a.C, com o gastrônomo grego Arquéstrato de Gela, que viveu na Sicília, região sul da Itália. Naquela época, a Grécia mantinha “assentamentos” em regiões próximas, o que ajudou a espalhar tradições e costumes da civilização helênica. O livro, não por acaso chamado Gastronomia, explicava modos de cozinhar, mas também servia como uma espécie de “guia gourmet”, com opiniões sobre os principais tipos de peixes, aperitivos e vinhos a serem consumidos em diferentes ocasiões. Mas ele não chegou até nossos dias, e o que sabemos são fragmentações descritas por historiadores.

Só que o mundo mudou rapidamente e os hábitos de cada época sempre foram além do que está escrito. Para se entender a história de um povo, é necessário entender como a alimentação pode mudar de acordo com o período e a relações que a civilização com seus pares.

Com o descobrimento e a consequente invasão de territórios, e o conhecimento de novas culturas, a relação humana com estes povos foi muito além do intercâmbio de ideias. Pense no Brasil. Conta-se, por exemplo, que as naus portuguesas, ao chegarem aqui no século XVI, trouxeram novidades gastronômicas da Europa, como pão, peixe cozido, mel, vinho e figos secos. Já em relação aos povos indígenas, sua alimentação consistia nos produtos consumidos a partir da colheita de milho, feijão, mandioca, além de muitas frutas nativas da região. No início, nem os portugueses gostaram dos vegetais do Novo Mundo, e tampouco os índios aprovaram os quitutes europeus. Mas esta troca de experiências, de certa forma, promoveu uma revolução gastronômica, acentuada depois com a chegada dos escravos, e posteriormente dos imigrantes que aqui habitaram.

A própria História mostra que, com a globalização, fenômeno de enorme integração cultural, as distâncias em todos os aspectos foram diminuídas a tal ponto que aconteceu o óbvio: as pessoas passaram a interessar-se por culturas de outros locais. A busca por especiarias nas Grandes Navegações mudou o mundo. Depois disso, alimentos novos foram inseridos nos diferentes contextos. Multiplicou-se o número de chefs de cozinha. Surgiram novos métodos de preparo, adaptados às necessidades locais.

Ou seja, nada aconteceu em vão, ainda mais pela quantidade crescente de pessoas apaixonadas por comidas exóticas que temos hoje. Ou seja, da próxima vez que você for a uma temakeria, restaurante árabe ou solicitar uma tele-entrega de comida chinesa, agradeça muito a todos aqueles que buscaram novas experiências gastronômicas em locais além de suas fronteiras.

Traga seu projeto aqui para o Experience Lounge e transforme suas idéias em uma experiência incrível. Conte com nossa equipe de inteligência para desenvolver a melhor performance para você. Nossa cozinha está esperando por você !

 Confira: